Seguidores

domingo, 29 de janeiro de 2012

O Brincar e a Matemática - Jogo: Amarelinha




Origem 

Gravuras mostram crianças brincando de amarelinha nos pavilhões de mármore nas vias da Roma antiga. Na época, o percurso carregava o simbolismo da passagem do homem pela vida. Por isso, em uma das pontas se escrevia céu e, na outra, inferno. 

Por que propor 

Para o grupo vivenciar diferentes formas de equilíbrio. 

Como enriquecer o brincar
 
■ Ajude os menores a desenhar a amarelinha. 
■ Planeje e apresente diferentes trajetos e jeitos de percorrê-los. 
■ Peça que os pais ensinem os tipos de amarelinha comuns de sua infância. 
■ Adapte as regras para os menores pularem com os dois pés para facilitar. 

Os erros mais comuns
 
■ Ter um traçado fixo no chão do pátio. Desenhar os variados percursos faz parte da brincadeira. 
■ Exigir que a turma siga as regras à risca e pule sem tocar as linhas do trajeto. Para os menores, já é um grande desafio coordenar os movimentos para saltar.
Fonte: revistaescola.com.br

Os jogos e as brincadeiras são fundamentais para o bom desenvolvimento físico e mental de qualquer criança, além de ajudar na compreensão do conhecimento matemático. A amarelinha, por exemplo, é um jogo muito conhecido do universo infantil. Essa brincadeira, desenvolve importantes habilidades de pensamento matemático, dentre as quais citamos: noções espaciais, lateralidade (direita-esquerda), auxilia diretamente na organização do esquema corporal, coordenação motora, contagem, sequencia numérica, reconhecimento de algarismos, quantidades, ordem, avaliação de distância, força, localização, percepção espacial e discriminação visual. Sugiro que logo após brincar de amarelinha, o professor faça registros junto com seus alunos; quantos pontos fizeram,  até que número conseguiu ir, faça debates (conversas) e desenhos para expressar a brincadeira. Professor, não esqueça de brincar sempre com suas crianças e bom trabalho!
Daniele Mendonça
Pedagoga e Psicopedagoga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário